3 mitos sobre saúde oral durante a gravidez

A gravidez estraga os dentes

 

Um dos maiores mitos que existe é que a gravidez estraga os dentes da mãe. O enfraquecimento dos dentes, devido à perda de cálcio em favor do feto, e o aumento do risco de cárie dentária são uma das ideias incorretas normalmente veiculadas. O que acontece é que a ingestão alimentar mais frequente, com alto teor de açúcares, em conjunto com a diminuição de cuidados de higiene oral e o pH salivar mais ácido - em consequência das náuseas e vómitos - podem aumentar o risco de cárie.

 

Durante a gravidez não pode fazer-se tratamentos dentários

 

Durante a gravidez é possível fazer-se tratamentos dentários - mesmo que necessite de anestesia. Uma infeção oral é mais prejudicial para o bebé do que o tratamento dentário. O ideal seria fazer consulta de medicina dentária antes da gravidez a fim de evitar infeções orais durante este período. As consultas devem ser de curta duração preferencialmente de manhã, sendo mais indicado o segundo trimestre da gestação.

 

A higiene oral da grávida não influencia a saúde do bebé

A higiene oral é a mais eficaz medida preventiva para evitar infeções da cavidade oral. A mãe pode infetar o bebé por meio de microrganismos provenientes de doenças infeciosas como a cárie dentária e doenças periodontais.

 

Adaptado de www.omd.pt


Voltar